Dormir aumenta o poder do cérebro feminino, diz estudo


Ser uma mulher sonolenta nunca foi tão bom. Em um estudo recente realizado pelo Instituto Max Planck de Munique, na Alemanha, foi desenvolvida uma análise do padrão do sono de 160 adultos, considerando especificamente como esse fator alteraria a capacidade intelectual dos participantes.

Com os dados coletados, os pesquisadores puderam encontrar uma constante entre as mulheres: a atividade cerebral era maior quando elas entravam em uma fase de sono sem sonhos. O mais bacana é que, de acordo com o estudo, essa mesma atividade está relacionada ao aumento nos níveis de inteligência das mulheres.

Já nos homens, a pesquisa mostra que eles se beneficiam mais com pequenos cochilos. As informações coletadas complementam outro estudo criado pelo Centro de Pesquisas do Sono da Universidade de Loughborough, na Inglaterra, que aponta que as mulheres precisam de mais horas de sono porque seus cérebros funcionam de maneira mais complexa.

A capacidade feminina de ser multitarefas faz com que o cérebro das mulheres seja mais exigido do que o dos homens, tornando, assim, uma boa noite de sono extremamente necessária.

Benefícios do sono

Previne a obesidade

Durante o sono nosso organismo produz a leptina, um hormônio capaz de controlar a sensação de saciedade – portanto, pessoas que tem dificuldades para dormir produzem menores quantidades desta substância. “A consequência disso é ingestão exagerada de calorias durante o dia, pois o corpo não se sente satisfeito”, explica a neurologista Rosa Hasan. Além disso, o grupo dos insones produzem uma maior quantidade de um outro hormônio, a grelina, uma substância que está relacionada a fome e a redução do gasto de energia.

Combate à hipertensão

Um estudo da Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, comprovou que um sono profundo e ininterrupto está relacionado a bons níveis de pressão arterial. A neurologista Rosa Hasan explica que a dificuldade em descansar durante a noite é equivalente a um estado de estresse, aumentando a atividade da adrenalina no corpo. “Uma noite mal dormida deixa o organismo em estado de alerta, aumentando a pressão sanguínea durante a noite”, explica a especialista. Ela afirma que com o tempo essa alteração na pressão sanguínea se torna permanente, gerando a hipertensão.

Fortalece a memória

Pessoas que conseguem ter uma boa noite de sono absorvem melhor as informações do dia a dia do que aquelas que passam longos períodos sem dormir, diz um estudo feito pela Universidade de Lubeck, na Alemanha. Segundo os pesquisadores, isso acontece porque durante o descanso ocorre a síntese de proteínas responsáveis pelas conexões neurais, aprimorando habilidades como memória e aprendizado.

Previne depressão

As chances de a depressão comprometer a qualidade de vida de uma pessoa pode ser menor se ela dormir entre seis e nove horas por dia. É o que indica um estudo feito no Cleveland Clinic Sleep Disorders Center, em Ohio, nos Estados Unidos, que analisou mais de dez mil pessoas.

 

6 dicas para não errar na iluminação do quarto

O quarto é um dos espaços que nos leva a pensar que ali respiramos fundo depois de um dia de trabalho, de uma semana estafante etc. E é nesse ambiente que precisamos prestar muita atenção na iluminação, criando diferentes espaços de luz que refletem na sensação de conforto que buscamos.

– Antes de tudo é importante incluir um foco de luz principal para o uso diário do quarto, que pode ser revolvida com lustre.

-A luz principal inclui-se no teto em uma lâmpada embutida ou pendurada. Pode-se optar por uma luz quente (amarela) ou fria (branca).

-Se não quiser uma luz direta, as lâmpadas embutidas no teto e orientadas, por exemplo, são ótimas escolhas para a área do armário ou cabeceira da cama, que servem para iluminar e ampliar visualmente o quarto.

-Se o cômodo tiver uma área destinada à leitura ou a outro tipo de atividade que necessite de esforço visual, opte por uma luminária de chão, que tem iluminação direta, ótima para tarefas que exigem foco.

-Se o quarto tiver um espaço destinado para home office é necessário optar por uma luminária de mesa para trabalhar tranquilo e sem muito esforço visual.

-É importante não se esquecer dos abajures ou luminárias. As opções podem variar de luminárias de mesa ou apliques de paredes articulados em ambos os lados da cama, que permitem ser orientados quando for necessário. Nesse caso o ideal são lâmpadas com luz suave.

 

Veja como um colchão ruim pode destruir a sua saúde

Dormir bem é essencial para manter a saúde física, emocional e fisiológica. Sim! Para ser saudável é preciso ter boas noites de sono, o que depende da tranquilidade e iluminação do ambiente, da higiene e conforto das roupas de cama e, claro, da qualidade do seu colchão.

Por falar em colchão, um colchão ruim pode trazer muitos danos para a saúde. Os prejuízos vão muito além do desconforto ou da impossibilidade de relaxar e descansar. Os impactos de um colchão malconservado ou de qualidade duvidosa repercutem negativamente no corpo, na mente e no bem-estar de modo geral.

Veja a seguir quais são as principais consequências dos colchões ruins para a saúde:

 

Problemas no coração

 Durante o sono, hormônios reguladores do sistema cardiovascular são liberados, fazendo com que o sistema circulatório e o coração trabalhem melhor. As boas noites de sono diminuem significativamente os riscos de infarto do miocárdio, ataque cardíaco, arritmia, etc.

Estresse e ansiedade

Do mesmo modo que os hormônios produzidos no sono regulam o funcionamento do sistema cardiovascular, eles são responsáveis também por regular o trabalho cerebral. As noites bem dormidas contribuem na manutenção da mente em equilíbrio.

Já o uso de um colchão ruim impede o sono reparador, desequilibra os hormônios e pode provocar desdobramentos psicológicos como estresse, ansiedade, fadiga mental, problemas de concentração, dentre outros.

Alterações na coluna

Um colchão ruim provoca alterações no posicionamento da coluna e isso acaba gerando problemas estruturais que interferem no bem-estar e na postura. Além de causar dores, as alterações na coluna podem levar os indivíduos a sofrerem com doenças posturais como cifose, lordose e escoliose.

Doenças do sono

As doenças do sono estão dentre as  consequências mais recorrentes do uso de um colchão ruim. Problemas como sonambulismo e insônia podem ser desencadeados pelos colchões de má qualidade. Quem dorme em colchão de má qualidade tende a sofrer com distúrbios do sono caracterizados, normalmente, pela agitação noturna, dificuldade de pegar no sono ou continuar dormindo até obter um sono reparador. Para evitar esses problemas, é preciso investir em um colchão de qualidade.

Obesidade e sobrepeso

Você sabia que dormir mal está intimamente ligado ao ganho de peso e dificuldade de emagrecer? Isso significa que um colchão ruim pode refletir na forma física, gerar obesidade e acarretar problemas decorrentes do sobrepeso, como por exemplo, a diabetes e o colesterol alto.

Vários estudos revelam que a má qualidade do sono eleva os riscos do indivíduo desenvolver a obesidade. Isso ocorre porque o sono funciona como regulador do metabolismo da glicose e das funções endócrinas. Só para se ter ideia, dormir pouco desregula os hormônios, desacelera o metabolismo e ainda aumenta o apetite.

Saiba mais sobre a qualidade dos colchões terapêuticos Sono Quality